Relato – Brevet 200 – Boituva – 18/02/17 – Fernanda e Marcella

No último brevet 200 de Boituva (18/02/17) tivemos a participação de duas ciclistas que, vindo do esporte de alto rendimento, viram no Randonneur uma opção que vinham procurando, o esporte por diversão, sem compromisso de “vencer”.

E entenderam e aplicaram o espírito Randonneur em sua essência, a auto-suficiência, o companheirismo, auto-conhecimento e o planejamento antes e durante o brevet.

São Elas:

Fernanda – Atleta do Atletismo nas modalidades lançamento de disco, 100m rasos e 200m rasos, sendo hoje campeã paulista nas três modalidades com recorde brasileiro no lançamento do disco por categoria. Iniciou no esporte como jogadora profissional de Vôlei e com convocação para seleção Brasileira.

Marcella, a “Teacher” – ex-atleta profissional do atletismo, com duas participações em Olimpíadas (Atenas e Pequim), correndo os 400m sobre barreiras, 4 vezes campeã brasileira, 2 vezes campeã sul americana, e como “Hobby” praticou Tae Kwon Do, sendo 1 vez campeã Mundial e outra Vice!!

Abaixo o relato da aventura e todos seus desafios.

BOITUVA 18 DE FEVEREIRO DE 2017, 5:00 AM;

…acordo com Detonautas cantando “você me faz tão bem” frase que me inspira à vida e a estar ao ado da pessoa que amo.

Fernanda e eu levantamos e começamos a nos preparar para o dia tão esperado, nosso primeiro AUDAX. Checagem de tudo, ferramentas?

1 alicate, uma chave de fenda e uma phillips, jogo de chaves de boca, um jogo de chaves alen, kit de remendo, espátulas… ahhh é nóis, com isso nada nos para digo a ela. Uma câmara sobressalente, faróis ok, lanternas ok, carbo gel, isotônico de açaí com guaraná escolhido por ela kkk, dinheiro pra eventualidades… hora de ir.

Saímos do hotel as 5:14am quase as primeiras a chegar ao posto de vistoria das bikes. Muito bem recebidas, tivemos todas as instruções bem passadas e frisadas pelos staffs (que aliás estão de parabéns, do começo ao fim).

Passado a vistoria, ainda cedo voltamos ao hotel para aproveitar o café da manhã kkk, comi um melão inteiro e um mamão, a Nanda não comeu nada, a ansiedade não deixava. Bom não vou falar sobre a ansiedade dela pois este relato vai virar um livro caso o faça. 🙂

No hotel Fernanda e eu comentávamos de novo o que havíamos percebido logo a noite quando chegamos…

_ Só tem bike top né. 🙂

Nós pedalamos bikes mais modestas, ela uma caloi 10 de 15 aninhos e 13 kilos e 300 gramas. Eu…. Bem, nem sei qual é a minha dizem que é uma volare 🙂 sei que tem mais de 20 anos de estrada 🙂 . Pedalamos com pinhões nas catracas (não temos cassete) de 25 dentes na maior e 12 na menor muito bem divididos entre 5 pinhões no total kkk devia ser um luxo para época né? 🙂 . Coroas de 52/48 velocidade não vai faltar 🙂 .

Acostumadas em pedalar nos finais de semana cerca de 150 km no sábado e 150 km no domingo lá fomos nós. Igual a duas crianças que acabava de ganhar a primeira bicicleta. 7:01 am nossa largada para a felicidade foi dada. Esperamos todos saírem para começarmos nossa rodagem.

Logo nos primeiros km começamos a notar algumas coisas, muitos atletas parados na estrada com pneu furado, olhamos uma para outra e Nanda me pergunta:

_Será que o seu vai aguentar?

Sorri e disse, fica tranquila que o meu é diferente, não queria preocupa-la mais meu pensamento foi aiaiaiaiaiai fud…

Bom, pedal para a frente né, já estamos aqui, outra coisa que notamos foi que tinha muitos tiozinhos bem fortinhos (jamais desmerecendo alguém por amor de deus), mandando bala nas subidas e andando forte kkk e a gente ficando para trás kkkkk, com o decorrer da prova, paradas nos pcs conversas com outras pessoas e hoje amigos que fizemos aprendemos muito sobre relação de marchas em bicicletas. Descobrimos o que é uma bike speed uma road bike e mais importante descobrimos que nossas velhinhas não era nada daquilo mas amamos elas 🙂 .

Nossa história no AUDAX BOITUVA começa mesmo depois do pc 3, pois até este tudo foi tranquilo pedal redondo muita subida, mas tudo bem. Passamos pelo pc 1 as 9hs 43min, conversas descanso bastante isotônico geladinho bananas 🙂 e docinho de banana por mim eu nem saia dali 🙂 mas tudo isso aconteceu mais ou menos em 10 min pois a Nanda e sua amiga ansiedade já tinha me falado uma 10 vezes vamos Teacher kkkk.

Pc 2 paramos as 11:45am, não muito diferente do primeiro neste fui apenas ao banheiro e abastecemos as caramanholas, ahhh claro mais bananinha, as 14:16pm estávamos no pc3 tudo ainda muito tranquilo, cansadas mas pernas inteiras batimento cardíaco ok ali consegui convencer a Nanda em parar um pouco mais pra descanso, tive minha historia no ciclismo a 20 e poucos anos atrás já pedalei muito nesta época e sabia que estes últimos quilômetros iam ser os mais difíceis. Com tudo consegui uma parada de 20 minutinhos apenas pq a Nanda já estava:

Vamos Teacher, eu não gosto de parar muito é ruim pra mim depois não consigo pedalar direito … rsrsrs

Nesta parada tivemos o prazer em conhecer Rogério Polo e esposa (vou ser sincera eu acho que era esposa pq esqueci de perguntar rsrsrs).

Ela que já havia se mostrado uma pessoa super do bem só se fez mostrar isso, nos incentivando por estar ali falando sobre as próximas provas que vão vir (e eu pensando jesuiiisss) 🙂 , nos falando de outras pessoas que estavam lá tbm foi show, até que ele nos fala que esta prova dos duzentos tem um problema… quando vocês chegarem nos 180 o bicho vai pegar kkkk. Bom agora não da pra correr né, desistir nunca render-se jamais.

Vamos intauuunnnn meu anjo. E lá fomos.

Nos 165km em uma dessas montanhas a bike da Nanda começa a fazer um barulho estranho. Ela me fala sobre o barulho e eu digo:

__Gata se está só fazendo barulho mas está andando não se preocupe kkk, mesmo assim puis um pouco de atenção na bicicleta e notei que a catraca da bike dela estava toda torta meio fora do lugar.

__ Gaaataaaa!!!!!!

Para um pouco.

Descemos e fui averiguar, a catraca desmontou toda deixando cai quase todas as esferas pela estrada. Ai meu deus agora já era.

Superamos todos os limites possíveis para estar aqui, não era isso que ia nos segurar kkk Nanda a esta hora já começou a chorar e a ligar pro motorista ir nos buscar pois pra ela não tinha mais como continuar, pra ajudar todos que passavam diziam a mesma coisa a ela.

Aí pensei…

Somos randonneurs ou não caralh….. rsrsrsrsrs

Liguei para o motorista e disse pode ficar aí que já está tudo resolvido.

Tínhamos tempo de sobra pedia a ela que parasse de chorar um pouco e me ajudasse a encontrar as esferas pela estrada 🙂 por sorte estávamos numa subida então ela andou pouco até perceber o problema. Bom, em um espaço mais ou menos de 50m encontramos bastante esferas, mas não o suficiente, peguei desmontei a minha catraca e dividi as bolinhas que tinham entre a minha e a dela faltou só umas 10 em cada catraca, mas foi o suficiente para voltarmos e estrada depois de uma hora e vinte kkk

Ahhhh para ajudar enquanto estávamos paradas na estrada o vácuo de um caminhão derrubou minha bicicleta e entortou a gancheira, mas nada que uma chave Alen e um alicate não resolvesse kkk

De volta a estrada sorriso no rosto da pessoa que amo e bora realizar o sonho e desejo dela ter a medalhaaaaaaa…

Lembrei de você (Rogério Polo) no pc 3 dizendo dos 180km (pensei que eu ia morrer quando cheguei lá kkkk). Fernanda como sempre sorrisão no rosto e me falando bora Teacher. Já não aguentava mais ouvir issooooooo… kkkk

Mas eu tinha de ir né, por mim, pelo significado da prova audax, por vc que se propôs a me ajudar com a inscrição, e acima de tudo por ela pois só eu sei o quanto aquilo significaria a ela.

Nesta altura de quilometragem comecei a passar mal, fazia anos que não sentia aquilo kkk, entrei em acidose e precisei parar, Nanda já não tinha mais o sorrisão no rosto e se mostrava preocupada comigo, somos professoras de educação física eu mestra em fisiologia molecular ela doutora em treinamento desportivo, sabíamos bem o que estava acontecendo comigo naquele momento e podia sim ser o fim da prova pra gente. Dia de um calor a normal sabíamos através dos garmins dos amigos que no asfalto estávamos rodando a 41 graus mais a intensidade que pedalamos nossas velhinhas de marchas pesadas kkk o resultado era um tanto catastrófico pra mim kkk.

Consegui uma sombra e sentei precisava de alguma maneira resfriar minha musculatura e por para fora todo excesso de lactato do organismo. Bom excesso de lactato é fácil beber muita agua e dedo na garganta kkk parece estranho aos leigos, mas esta é a melhor maneira e mais rápida e poderia me garantir voltar a pedalar. O caso é que já não tínhamos tanta agua assim né…

Já tinha 30 min paradas ali e Nanda querendo chamar o motorista de novo kkk ela dizia que não tinha problema não terminarmos que haveriam outras provas AUDAX por vir, nisso comecei a pensar, não está certo isso eu estou aqui pra dar força e suporte a ela pra ela terminar vim aqui pra ajudá-la a realizar um sonho e de repente eu sou a única coisa que está podendo pôr fim a este sonho, neste momento me deu uma tristeza grande, pois sou ex atleta e sei que a alguns anos atrás eu não estaria naquele estado muito menos sendo motivo de estorvo ao sonho de alguém. Todo este pensamento me deu mais 40min de descanso foram 1hora e 20 parada naquela sombra. Confesso que ali passei mal vomitei pense chorei baixinho pra ela não ver e cheguei à conclusão:

Sempre falo aos nossos atletas que um atleta é feito de 30% músculo e 70% psicológico, se você acredita ser capaz sua mente te levara até lá.

Neste momento levantei olhei pra Nanda e disse:

Gata, vamos pedalar, não vou conseguir mais ir no ritmo que estávamos mas vamos e vamos fazer dentro do horário proposto pela prova. Ela me olhou com um sorriso de felicidade e preocupação, me disse que se eu precisasse parar, era pra eu falar, que não tinha problemas. Que nosso amor é o que importa. E assim voltamos para estrada.

19:42pm, após 12hs e 42min de pedal (o melhor de minha vida) e primeiro da Nanda pois ela nunca havia pedalado e resolveu encarar tudo isso com apenas 5 finais de semana de treino que tivemos, avistamos o relógio mais lindo que já vi postado na parede do hotel mais lindo que já vi com staffs mais lindos que já vi (neste momento tudo que eu via e me dizia vocês chegaram, ERAAA LINDOOOO kkk) nos esperando para carimbar nosso passaporte de chegada e confirmação que obtivemos sucesso nos 200km de Boituva.

Anúncios