Relato – Brevet 400 – Holambra – 14/06/14 – Rafael Hernandez

O Brevet 400km começou há pouco mais de 37 dias. Estava descontente com a forma que terminei a etapa de 300 e com isso foquei nos treinos (corrida, ciclismo e musculação) e alimentação (com nutricionista) para definirmos como poderia alcançar meu objetivo.

Meta e preparação
O sonho era finalizar a prova no tempo que finalizei os 300km, ou seja, por volta das 23h. Sabia que era possível se trabalhasse duro e assim foi, acordando as 5h40 pra ir a academia, indo e voltado do trabalho de bike, a noite indo pedalar com a equipe e durante todo o dia, encaixando a alimentação certa para sair dos 97kg e ir realizar a prova com 85kg.
Inscrição feita e meta de peso alcançada, era hora de sentar com meu treinador Murilo para planejar cada pedaço do percurso e trocar uns 10 emails com meu nutricionista Renato para saber o que comer, quando comer e qual momento entrar com os suplementos.
Assim, o Audax começou na quinta-feira: preparando as marmitas com purê de batata e batata doce (que a linda Daiany me ajudou cozinhando); desmontando a bike; arrumando as mochilas. Na sexta, partimos de Ribeirão Preto com destino à Holambra.
Na cidade, encontrei os amigos Roberto, Wilson, Bruno, Anderson e o Jocelio. Jantamos e voltei para o Hotel. Um pouco depois saímos e encontrei o Edison e a Cassi. Mais alguns comes e bebes leves e voltamos ao Hotel para dormir.
Sábado às 5h20 já tinha feito a vistoria. Queria tomar café com a patroa e repassar todo o planejado para a prova, por isso voltei para o hotel. Na largada, encontrei os velhos e novos amigos, alguns que não conhecia pessoalmente, e – pontualmente às 7h – demos largada com destino à Brotas.

O percurso
1° PC – 67km.
Percurso sem complicação, mesmo no bolo de gente. Deixei os sprinters irem embora e foquei no planejado, chegando às 9h18. Comi as minhas ricas batatas, umas bananas e quando estava saindo, pude cumprimentar o Claudio Clarindo , um ciclista fora de série e que já realizou algumas vezes a prova mais dura de ciclismo, a RAAM!
2° PC – 156km.
Depois de sofrer um bocado passando pelos mais de 4km de Serra, cheguei no PC cheio de fome às 12h44. Comi um pão oferecido pela organização, bananinhas doces, purê de batata e parti para a próxima parada.
3° PC – 242km.
Este foi o pior percurso da prova. Muita subida, sol rachando o coco, meu primeiro (e único) furo e o stress de rodar praticamente 10km sem um pingo de água. Não tinha posto de atendimento, policia, nada. Somente pinheiros e mais pinheiros. Ao chegar à Washington Luiz com destino a Limeira, meus olhos brilharam quando vi uma parada de caminhão. Não pensei 2 vezes. Sprintei e corri pra comprar água e uma coca – porque ninguém é de ferro…rs. Enfim, cheguei às 16h59.
4° PC – 304km.
Pegando o que restava da Washington Luiz, entrei na Rod. dos Bandeirantes e com ela a noite começou a cair. Parei no acostamento, troquei os óculos, acendi as luzes da bike, o farol e parti para o pedaço mais gostoso que já fiz. Mantendo uma velocidade de 32km/h percebi que um farol não é desperdício e sim qualidade e segurança. Cheguei às 19h42.
Fato curioso é que em meu planejamento, eu coloquei que chegaria neste PC as 19h30, ou seja, felicidade era pouco por saber que estava colocando tudo que treinei em prática.
Neste PC tive um pequeno contratempo com o carro de apoio. Fiquei 40 minutos esperando o carro chegar (já que também estava dando apoio a outros amigos). Não dava pra ir sem blusa, o frio é forte e o vento estava muito gelado. Foi aí que apareceu uma alma caridosa e me emprestou uma blusa, com isso pude continuar o pedal e tentar recuperar o tempo perdido.
5° e último PC – 346km.
Com o tempo que fiquei parado, comecei a sentir dores chatas no joelho, isso porque ao sair do PC2, vi que minha sapatilha direita não travava mais no pedal, fazendo com que a perna esquerda empurrasse e puxasse o pedal enquanto a direta só empurrava mas estava contente porque meu objetivo estava próximo. Cheguei ao posto de controle as 22h33 e fui recepcionado por Gatorade e Esfirra hahahaha bom demais!
Saindo do PC, parti para a última perna e esse pedaço seria o mais complicado. Não só por suas últimas subidas, mas pela falta de sinalização na estrada. Quase errei o percurso 2 vezes mais consegui achar o caminho para Arthur Nogueira e enfim pegar a longa estrada até Holambra.
Ao avistar o moinho de vento da cidade eu não resisti de felicidade, parei para tirar uma foto e gritava em minha cabeça: KCT VOCÊ CONSEGUIU! 2km mais para frente estava a Pousada OCA, ponto final da prova a 1h52 de domingo.
Tempo total: 18h46.
Tempo pedalado: 15h10.
7° ciclista a completar a prova.
Agora é pensar nos 600 e mais uma vez dar o meu melhor.
Agradeço a todos os amigos pelo incentivo, voto de confiança e pelas mensagens antes, durante e depois da prova. Robson, curti demais suas mensagens e o vídeo seu com a patroa Graciela. Quando vi, me arrepiei inteiro que daria pra sair e pedalar mais 100km hahaha
Obrigado galera!

Uma resposta em “Relato – Brevet 400 – Holambra – 14/06/14 – Rafael Hernandez

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s